Bruno Faro

Não repitam o que te falam sem ao menos pesquisar

Este texto pode ser útil a muitos para mostrar àqueles conhecidos que sempre dizem que o mundo está mais perigoso. Essa fala sempre que deixou encucado e combaterei isto com dados:

No ano 2000, guerras pelo mundo mataram 310 mil e crimes violentos 520 mil. Parece muito, mas vejamos a perspectiva macro: essas 830 mil vítimas representam 1,5% dos 56 milhões de pessoas que pereceram no ano de 2000. No mesmo ano, 1,26 milhões se foram em acidentes de carro (2,25%) e 815 mil cometeram suicídio (1,45%).

Em 2002: de 57 milhões de pessoas que se foram, só 172 mil morreram em guerras e 569 mil em crimes violentos. Por outro lado, 873 mil tiraram a própria vida. Este foi o ano após o 11 de Setembro e ainda assim, o indivíduo tinha mais chance de cometer suicídio do que ser morto por um terrorista, soldado ou traficante de drogas.

Para se ter ideia, na Europa medieval, de 20 a 40 pessoas por 100 mil habitantes morriam devido violência humana. A média global hoje é de 9 a cada 100 mil e nos Estados centralizados europeus a média é de 1 a cada 100 mil por ano.

Ou seja, não é que a violência aumentou, mas sim o poder do jornalismo em transmitir notícias que cresceu. Ficamos sabendo de tudo a cada momento. É impressão, não fato.

Mesmo numa cidade violenta como o Rio de Janeiro, um cidadão tem menos chance de sofrer com a violência do que em algumas pequenas comunidades familiares pelo mundo.

Viu?

Mas não se contenha, vá checar os dados que passei. Não repasse sem antes averiguar. Isso é um hábito perigoso.